O encanto do Porto

Porto
Não sei bem explicar o porquê do meu amor pelo Porto… ou talvez até saiba.
Em 2015 foi a primeira vez que visitei esta cidade, após 20 anos a viver em Lisboa (sim 20!). Tive que ir a Braga com o maridão num belo dia de Novembro e no regresso, no mesmo dia, parámos no Porto para eu conhecer a cidade…e apaixonei-me! Foi um “toca e foge”!
Quando decidimos no final do ano passado, que queríamos fazer algo só nosso para a última passagem de ano, antes da chegada da pequena tarte de limão, o Porto foi logo a primeira opção que me veio à cabeça.
Há algo nesta maravilhosa cidade que me recorda muito, mas mesmo muito, a minha cidade natal, Nápoles. Não sei se é a frontalidade e genuinidade das pessoas. Não há cá truques, sorrisos amarelos e\ou forçados nem simpatias falsas, e isso é algo que eu aprecio. Não há cá  “tentar gostar para parecer bem”… ou se gosta ou não! Sempre preferi a verdade à falsidade…em tudo na vida.
Anyway, continuando, adoro “perder-me” por entre aquelas ruelas e prédios antigos com vista para a Ribeira! Coscuvilhar as conversas dos vizinhos que falam pela janela, sem filtros, sem truques, sem rodeios! Jantar nos restaurantes típicos com autênticos banquetes impróprios para quem tenha um estômago pequeno. O Porto para mim é sinónimo de felicidade.
Na nossa viagem, para ter o menor trabalho e preocupações possíveis, com estacionamento, parques, trânsito, etc acabámos por optar por ir de Alfa Pendular classe Conforto. Um homem de quase 1.90 m e uma mulher grávida de quase 8 meses devem dar-se a certos “luxos”. Devo dizer que a palavra Conforto assenta que nem uma luva nesses comboios. Muito melhor que muitos aviões que andam por aí. A compra antecipada do bilhete de comboio na CP permite descontos até 60%, o que vale mesmo a pena. Fica uma pechincha!
PA CP
O pequeno-almoço CP Classe Conforto (feito no momento e servido no lugar ;))
Reservei um apartamento pelo Booking (para variar só um bocadinho) e sinceramente ficou bem barato para a época (31 de Dezembro) e local (mesmo em frente à Ribeira). Era pequeno, como já calculava, mas tinha de tudo e estava muito bem decorado. Deixo aqui o meu especial agradecimento à gerência, pois a televisão do quarto não estava a funcionar e mesmo em noite de passagem de ano eles tentaram de tudo para encontrar uma televisão de substituição. Apesar de só a terem conseguir levar no dia seguinte não deixou de ser evidente o esforço por parte da gerência. Acabei por ficar com uma sala de cinema de tão grande que o ecrã era, ocupava metade da parede da casa ahahah
A vista do quarto era maravilhosa, acordar e ver o sol a banhar o Douro com os seus raios é realmente algo de extraordinário.
RA porto
Confesso que quando reservei o apartamento foi com o intuito de ver o fogo de artifício na Ribeira, mas afinal quando já lá estava descobri que ia ser na Avenida dos Aliados, e obviamente não me quis aventurar para aqueles lados com a minha barriga de 8 meses. Acabei por ver alguma coisa no lado de Gaia, mas nada daquilo que estava à espera. Fui depois informada pelo motorista da Uber já no regresso a casa que o fogo de artifício na Ribeira é na altura do S. João.
A minha noite de passagem de ano foi a mais romântica de sempre. Eu estava realmente cansada, estava naquela fase em que depois de andar 10 minutos precisava de descansar e aquelas ruelas íngremes da cidade do Porto não me ajudaram muito!
Fomos comprar uns quantos petiscos ao El Corte Inglés de Gaia, decorámos a nossa mesinha à janela e ligámos o tablet no Youtube. A nossa playlist? Música italiana…dos anos 80 para trás! As melhores! Enfim foi uma passagem de ano de sonho…mesmo! Realmente é preciso tão pouco para ser feliz.
No dia seguinte fomos conhecer melhor a cidade…a pé! Com um frio do caneco mas um sol que aquecia a alma…até às 3 da tarde 😉
Infelizmente a maioria dos monumentos a visitar estavam fechados, como é óbvio! Mas entre subidas, descidas, paragens para descansar, paragens para comer, paragens para fotografar, fizemos um passeio de quase 7 horas entre o Porto e Gaia.
Depois de uma passagem rápida pelo apartamento para descansar, fomos procurar um sítio para jantar para recarregar baterias. Acabámos por ir parar ao Prégar. Ora bem, para uma pessoa que não é mesmo NADA apreciadora de carne, podem imaginar que não era bem o que queria, mas estava tudo fechado ou demasiado cheio nas redondezas, e o ambiente acolhedor e a decoração do local chamou-me a atenção.
Mas que bela decisão a nossa. Eu comi um prego DIVINAL, acompanhado por batatas fritas e molho caseiro de maionese de limão, que tanto me recordou a ceia do nosso casamento. O pessoal, à boa moda do Porto, era extremamente simpático.
pregar
No regresso apanhámos uma pequena molha até ao apartamento. Há quem diga que é romântico… eu cá prefiro romantismos com sol! Enfim, opiniões…
Já na cama, relembrei o fim de semana tão bom, tão nosso e numa cidade que nos recebe sempre tão bem. Não é à toa que este ano voltou a ser eleita como o melhor destino europeu.
Dia seguinte, bem cedinho, chegou a hora de voltar a casa. Lá em baixo às 9 em ponto, um carro à nossa espera para nos levar para S. Bento. Quem era? A Uber claro!
Depois de nos ajudar com as malas e estarmos devidamente instalados, o motorista perguntou: “Posso vos deixar na parte de trás da estação?” Achei estranho, mas não comentei. Só respondi “Claro que sim!”. Quando lá cheguei, percebi o porquê…uma praça de táxis, bem recheadinha na parte da frente.
O meu bem haja para todos os motoristas da Uber que, apesar de todos os perigos que claramente devem passar durante o seu dia-a-dia, conseguem manter o sorriso e profissionalismo para com os seus clientes!
 Ribeira
Love
C

Leave a Reply