Roadtrip Sul de Espanha – a ida

Roadtrip sul de espanha

A primeira paragem foi no Carvoeiro. Onde casámos, onde somos sempre felizes, dos poucos sítios do Algarve que ainda não foi totalmente inundado por turistas. Ficámos lá só uma noite, mas deu para descansar da primeira viagem (Sim, eu sou daquelas pessoas que precisa de parar em todas as bombas de gasolina para esticar as pernas – e não vou a conduzir) e rever alguns funcionários do resort que fizeram parte do nosso casamento.
No dia seguinte, depois do almoço, recomeçámos a nossa viagem , sem pressa, com toda a calma com que as férias devem ser encaradas. Supostamente iríamos directamente do Carvoeiro para Marbella, mas acabámos por optar por ir pela estrada nacional, para ver a paisagem algarvia. Fomos lanchar a Vilamoura e levámos com um trânsito descomunal (qual IC19) à saída da marina. Quando nos apercebemos das horas a passar, achámos que talvez fosse boa ideia concentrarmo-nos no nosso destino final e apanhar a Via do Infante directamente para Espanha.
Devagar, devagarinho as matrículas portuguesas foram diminuindo e as espanholas aumentando. Chegando a Vila Real de Santo António passámos uma ponte e…estávamos em Espanha.
Três coisas a reter quando se vai de carro para Espanha:
1 – Quase que não há portagens! Andámos kms e kms e portagens nem vê-las! A primeira portagem que vimos já foi relativamente perto de Marbella e rondava os 7 euros. Para quem tinha acabado de vir da Via do Infante, digamos que foi uma fantástica surpresa.
2 – Para qualquer sítio que se vá no Sul de Espanha (e neste caso Sul equivale a beira-mar) tem que se dar uma volta escandalosa por Sevilha, isto porque mais ou menos entre Huelva e Cádiz fica o parque Doñana, que é património da Unesco e por isso mesmo, não fizeram estradas a atravessá-lo (AINDA BEM!).
3 – Importantíssimo. O nome das estradas pode induzir em erro. Existe a Autovia e a Autopista e é tudo A. Ou seja, por exemplo, existe a A7 (Autovia) e a AP7 (Autopista). A sinalização não é das melhores e não é muito intuitiva, o que faz com que quando damos por nós, já estamos na Autopista em vez da Autovia e vice-versa.
Ora, claro está, o ponto 3 é a razão por termos chegado ao hotel em Marbella por volta das 3 da manhã … mas já lá chegamos.
Visto que tínhamos que passar por Sevilha pensámos que seria uma boa ideia parar umas duas horinhas para visitar o centro e jantar. Chegámos a Sevilha perto das 8 horas da noite. Estacionámos o carro, abrimos a porta e…voltámos a fechar. Um calor a-b-r-a-s-a-d-o-r, algo mesmo fora do normal… e eram 20 horas, nem quero imaginar o estado do sítio ao meio-dia. Esquecemos a paragem em Sevilha e seguimos caminho. Parámos para jantar numa estação de serviço, já perto da zona de Cádiz e dali fomos directos para Marbella. Ou pelo menos tentámos. O sol entretanto deu lugar à lua e tive pena de não ter feito esta viagem mais cedo. Entre Cádiz e Marbella não vi paisagens, algumas estradas mal tinham iluminação e a uma certa altura o cansaço já era tanto, que só queríamos era chegar ao hotel e atirar-nos para cima da cama. O GPS do carro deixou de funcionar em Espanha e só tínhamos os mapas  que tinha imprimido do Google Maps durante a minha exaustiva pesquisa. Eu nunca confio a 100% nas tecnologias e claramente tinha razão. O grande problema foi o facto de termos deixado passar a saída da autovia e termos continuado na autopista porque tinha o mesmo número, ou seja, perdemo-nos.  Depois de termos reencontrado a estrada correcta, vimos o hotel ao fundo da rua quase como que a miragem de um oásis no deserto. Nunca fiquei tão feliz por encontrar um hotel.
Check-in feito, malas deixadas à porta do quarto e aterrámos num sono profundo até ao dia seguinte. Tínhamos finalmente chegado a Marbella.
(continua)

marbella

A vista do quarto (que só vimos no dia seguinte ;))

Love
C

P.S- Sentes-te perdido depois de ler este post? Lê este e tudo fará muito mais sentido 😉

4 Comment

  1. Deve ser mesmo cansativo mas também tão bom por poder fazer uma viagem assim até Espanha. Por acaso é algo que quero muito fazer 🙂
    Beijinho

    1. Claudia Oliveira says: Reply

      Adoro fazer viagens de carro, permite-me conhecer sítios escondidos que de outra maneira talvez não chegaria, mas sim é cansativo!

      Um beijinho e obrigada pelo comentário <3

  2. Não sabia essa distinção entre a Autovia e a Autopista. Sempre a aprender! 🙂

    1. Claudia Oliveira says: Reply

      Eu também não e descobri da pior maneira ehehe

      Obrigada pelo comentário!
      Um beijinho <3

Leave a Reply