Twin Peaks: o regresso!

twinpeaks
Lembro-me da primeira vez que vi Twin Peaks, como se fosse ontem.
Era uma criança de 5\6 anos e ainda morava em Nápoles. Na noite da estreia, logo após o jantar, sentei-me com a minha mãe no  sofá da sala, à espera que a série começasse.  O genérico, a cargo de Angelo Badalamenti, conseguiu ao mesmo tempo cativar-me e assustar-me . Vi os primeiros minutos, ainda aterrorizada pela música inicial, mas não queria dar o braço a torcer, não queria que me mandassem para a cama. Até que a certa altura encontraram e destaparam o corpo de Laura Palmer. Nesse preciso momento, a minha mãe agarrou no comando e mudou de canal, afirmando que aquilo não era série para mim, que era coisa de adultos.
Eu, obviamente, como qualquer criança levei aquilo como uma “ofensa” e tentei por várias vezes ver os episódios, escondida atrás da porta da sala. Via de relance alguns excertos e voltava para a cama sempre assustada, mas vitoriosa porque tinha conseguido ver um pouco mais. Até que os dias foram passando e eu fui-me esquecendo. Afinal não estava a perceber patavina da história e a vida de “fora da lei” acaba por ser cansativa.
Passaram-se poucos anos e vim morar para Lisboa. Já na minha adolescência, numa tarde em que não tinha aulas, enquanto estava a fazer zapping, parei na Sic Radical. Estava a dar uma série antiga sobre a morte de uma pessoa. Tinham acabado de destapar a cara do saco de plástico. Era a Laura Palmer! Confesso que não me lembrei imediatamente da série, mas algo ali me cativou e continuei a ver. Até que, já no final do episódio, tocou o genérico… Aquela música era inconfundível e inesquecível!
A partir daí, lá estava eu todos os dias, sintonizada no canal, completamente viciada na série.
No final de cada episódio havia aquele sentimento de “o que raio acabei eu de ver?”, misturado com “nunca mais é amanhã para ver o próximo episódio”.
Uma série de génio, com uma banda sonora de génio, que mesmo hoje após 27 anos da estreia nos EUA, consegue obter um post escrito aqui no meu cantinho.
Escusado será dizer que estou literalmente em pulgas para o seu regresso.
Dia 28 de maio, às 22 horas no TV Séries.
twinpeaks
Love
C

Leave a Reply