A minha infertilidade

prolactinoma
Quando a Marta me contactou para me fazer uma entrevista sobre a maternidade, já sabia sobre o que queria falar. Jornalista e apresentadora de profissão, e com um blog a dar os primeiros passos, a Marta quis que eu fosse a primeira entrevistada e eu não me poderia sentir mais lisonjeada com o convite. Conheço a Marta há imenso tempo, e com ela sabia que a conversa iria fluir como se de uma simples conversa de café se tratasse (mas com vários objectivos (e uma câmara) escondidos).
É preciso quebrar barreiras, é preciso fazer as pessoas entender que às vezes a pergunta mais banal pode não ter a resposta mais banal… é preciso falar, é preciso partilhar.
Confesso que não foi fácil abrir o meu coração desta maneira, nunca o foi nem nunca o será…mas o feedback que tenho tido fez-me entender que fiz a escolha certa! Atingi o meu objectivo (e penso que a Marta pode dizer o mesmo!).
Já há imenso tempo que quero escrever aqui sobre isto…prefiro sempre escrever a falar, mas o tempo vai correndo e eu muitas vezes não consigo acompanhar o ritmo. Um dia prometo que irei escrever sobre isto, tenho muito para dizer e a Marta bem o pode confirmar! A entrevista toda durou quase uma hora e ela teve a complicada tarefa de torná-la numa de mais ou menos 10 minutos.
Até lá, deixo-vos a entrevista que fiz para o Birras em Direto, sobre o meu problema de infertilidade.

Love

C

6 Replies to “A minha infertilidade”

  1. Quando te convidei para seres a primeira entrevistada não pensei que a tua história fosse tão marcante e impactante para muitas mulheres pois não a conhecia. Iria falar contigo por seres mãe e blogger, mas quando me contas por tudo o que passaste pensei logo que esse sim seria o foco. E fiquei muito contente por te abrires da maneira que o fizeste comigo e neste caso com o mundo.
    Admiro-te pela coragem e claro pela Mulher e Mãe que és.
    Beijinhos grandes

    1. Assim deixas-me sem jeito! Obrigada querida! É engraçado como o universo conspira para estes reencontros 🙂 Anos e anos sem nos vermos e agora, acredito que seja o começo de uma amizade “adulta”!

      Um beijinho grande e obrigada pelo teu apoio <3

  2. Adorei ver este vídeo! Acho excelente a forma aberta como falaste, que tenhas partilhado a tua história e incentivas a fazê-lo! E saber que passaste por isto e têm a vossa Matilde, tão bom! <3

    1. Claudia Oliveira says: Responder

      O objectivo era mesmo o de mostrar que há sempre a luz ao fundo do túnel ehehe é manter o sorriso e não desistir…nunca.

      Beijinho <3

  3. Raquel Fernandes says: Responder

    Olá
    Estou a gostar muito do teu blog, e este tema particularmente é bastante sensível para mim. Engravidei da primeira filhota sem qualquer problema, tinha 28 anos(2007) e correu tudo bem… O problema foi quando à 2 anos pensei em engravidar novamente, nas tentativas frustradas descubro numas análises que tenho uma prolactina elevadíssima, faço um TAC e nada foi visto que justificasse aqueles valores. Em Janeiro deste ano depois de uns meses normais( menstruação regular) foi-me dito pela ginecologista que tudo indicava que iria engravidar rapidamente. Em Abril deste ano novo atraso e testes de gravidez negativos… Acho que os níveis de prolactina estão outra vez altos, estou à espera do resultado das análises… A esperança de conseguir engravidar está cada vez mais longe… Porque os 40 estão cada vez mais perto…

    1. Claudia Oliveira says: Responder

      Bom dia Raquel,
      Peço desculpas pela demora na resposta.
      Antes de mais obrigada pelo seu comentário e carinho, espero que continue a acompanhar este cantinho que tanto gozo me dá. Testemunhos como o seu fazem-me ver que sim, vale a pena partilhar este tipo de coisas, posso não chegar a meio mundo mas se posso tocar o coração de alguém já me sinto realizada.
      Não perca a esperança, eu sei que é muito fácil falar mas acredite que estas palavras vêm de alguém que teve o mesmo problema que o seu. Queria tanto mas tanto ter um filho e ver todas as minhas amigas engravidarem num instante enquanto eu passava por tantas tentativas falhadas não foi nada fácil (emocionalmente). Posso perguntar se está a ser acompanhada e medicada para o prolactinoma? É de Lisboa? Eu fui acompanhada por um médico endocrinologista que também dá consultas na maternidade Alfredo da Costa que é impecável. Senti-me mesmo muito acompanhada e isso foi meio caminho andado para “relaxar”.
      Se precisar de falar não hesite em contactar-me, terei todo o gosto em dar-lhe uma palavra amiga de alguém que sabe exactamente como se sente pois passou pelo mesmo. Pode enviar-me mail, mensagem pela página do Facebook, ou Instagram. É só escolher.
      Um grande beijinho para si e vai ver que vai acontecer.
      Partilho consigo o que escrevi no dia em que descobri que estava grávida (que partilhei depois no blog). Espero que a ajude a manter a esperança 🙂 https://www.theoofdiary.com/baby-on-board/
      Um grande grande grande beijinho e mais uma vez obrigada
      Claudia

Deixe uma resposta