Devaneios de uma mente febril e…menstruada!!!

Caso não tenham reparado sou uma mulher, é verdade sim senhora!

E como todas as mulheres desde os meus 11 anos passo os meses da minha vida entre 3 semanas de pré e pós-sofrimento e uma semana de aflição, é aquilo a que chamam período fértil, sabem? Aquele período de tempo que ronda cerca 40 anos da vida de uma mulher, (sim família e amigos, são muitos anos mesmo, que não começam quando nos casamos, por isso escusam de continuar a perguntar: ” E para quando filhos?” porque os mini us podiam ter vindo antes do casamento, é tudo uma questão de escolha e tudo virá a seu tempo)…bom tirando este pequeno desabafo vamos lá continuar com o meu devaneio…

Recordo-me como se fosse ontem, estávamos então em 1997 e tinha 11 anos e lá veio ela visitar-me pela primeira vez, a “lady in red“. Senti-me uma mulher à séria e pensei que a partir daquele exacto momento iria conquistar o mundo. Telefonei à minha avó (uma chamada intercontinental de Itália para Cabo Verde) e ela num tom muito calmo disse-me algo deste género: ” Ó netinha, agora não podes andar descalça…” A partir daí percebi que iria conquistar o mundo sim, mas sem calçar os saltos saltos.

Como se não bastasse a primeira desilusão ( a de não poder usar saltos altos no meu futuro), a minha avó continuou com uma série de conselhos como por exemplo: “também não podes lavar o cabelo…e também não podes tocar em leite fresco, senão azeda e na carne vermelha, senão estraga e também não podes isto e não podes aquilo…”.

Dito isto aos 11 anos cheguei à conclusão que conquistar o mundo iria ser muito mais complicado do que eu pensava.

O que me valeu foi uma mãe muito calma que, depois de ter desligado a chamada, me sossegou o coração e explicou que aquilo eram tudo mitos dos tempos que já lá vão e que não era tão horrível assim….

 

Hoje aos 29 anos sei que conquistei o meu mundo…o mundo que queria para mim! Emprego, casa própria, carro, marido que me ama, família que me adora, amigos que gostam de mim, ser boa como o milho e linda como uma deusa do ébano, ok vamos lá acalmar 😉

Não deixei de andar descalça, não deixei de lavar o cabelo, não deixei de tocar em leite ou em carne, só tenho um ou dois dias por mês em que a minha vida pára por completo e o meu melhor amigo passa a ser o saco de àgua quente que tão bem fica no meu colo.

 

Enfim isto tudo para dizer que ser mulher é complicado sim mas é tãooooooooooooooooooooooooooo bom!!!!

 

mafalda-0.jpg

Love 

C.

 

P.S – Entretanto passaram os anos e a minha avó modernizou-se, a minha irmã ouviu conselhos como : “Para a praia é melhor levares o tampão netinha”.

 

 

 

Deixe uma resposta