Então e tempo para nós no pós-parto?

body concept
Não há!
…Brincadeirinha. Até pode haver… depende da mãe, depende do bebé, depende do parto, depende de tanta coisa. Eu confesso que não tive tempo para mim nos primeiros dias, mas por opção.
O meu parto foi uma maravilha, não senti qualquer dor (abençoada sejas epidural!). Continuo a afirmar que a única experiência traumática nisto tudo foi\foram mesmo o(s) maldito(s) toque(s).
Após as duas horas de recobro, fui encaminhada para o meu quarto e fui logo tomar banho sozinha. Juro sentia-me tão fresca e fofa e estava tão conversadora, que até a enfermeira comentou que nem parecia que tinha acabado de dar à luz.
Mas nessa noite quase que não preguei olho! Estava a passar por um turbilhão de emoções e não conseguia tirar os olhos da minha bebé. Sim, eu sou dessas mães! Desde o primeiro dia que não quero perder um segundo que seja do crescimento e desenvolvimento da Matilde, pelo que devem imaginar como me senti, no momento em que estava prestes a regressar ao trabalho 🙁
Enfim, voltando ao pós-parto, 41 horas depois do nascimento estava a sair do hospital e pronta para começarmos os 3 esta nova aventura.
O regresso a casa implica uma série de coisas, o descobrir de uma nova rotina, a organização das visitas, o perceber as necessidades da bebé, a gestão do tempo, dos sonos, das emoções, enfim é tudo novo.
Eu, ainda por cima tive um verdadeiro drama no regresso a casa (vou falar-vos sobre ele nos próximos dias), pelo que cuidados comigo só tive mesmo os básicos dos básicos.
Passado o primeiro mês, e porque a Matilde é mesmo uma bebé de sonho que não dá trabalho nenhum, comecei a focar-me mais em mim e a pensar que tinha chegado o momento de fazer qualquer coisa. Não que estivesse desleixada, mas faltavam-me ainda perder 7 kgs e não conseguia dormir à noite com dores nos gémeos, devido à retenção de líquidos.
O primeiro passo foi dado na Body Concept, precisava mesmo de começar a dormir! Tinha um bebé recém nascido que dormia que era uma maravilha e eu não conseguia aproveitar-me disso, tal era a tensão nas minhas pernas. Comecei a fazer uma hora de tratamentos combinados duas vezes por semana e esse foi o verdadeiro passo para voltar calmamente ao meu antigo eu. A diferença foi da noite para o dia. É incrível o que 40 minutos de pressoterapia podem fazer!
O cuidado com a alimentação, confesso que está mais complicado… Às vezes tenho, às vezes não tenho, depende da minha disposição diária. Uma coisa é certa, nunca comi tanto na minha vida como agora que estou a amamentar.
O regresso ao ginásio também está a ser feito aos poucos. Tinha a mensalidade suspensa para os primeiros 3 meses e pouco ou nada fiz durante esse primeiro tempo. Fiz uns treinos com o maridão, já comecei a fazer algumas aulas no ginásio e comecei a treinar uma vez por semana no Powr com a minha prima e parceira de crime, a M. Não tenho nem de perto nem de longe a mesma capacidade cardíaca de há um ano atrás, mas estou confiante que irei voltar aos tempos áureos da minha actividade física 😉
Para me ajudar a nível de cremes, tenho usado o Trofolastin na zona das coxas, ancas, glúteos e barriga e estou bastante contente com os resultados. Baratinho e eficaz, como gosto. No rosto uso sempre o meu aloe vera ou o Corine de Farme para bebés (depende de como acordo de manhã) e tento ainda fazer uma máscara uma vez por semana. De resto já sabem que raramente me maquilho e ultimamente, quando acontece, se também seguem a página do Facebook sabem que acaba em asneira ah ah ah
Agora o meu maior dilema é mesmo o cabelo. Não sei para que publicitam o cabelo maravilhoso com que ficamos durante a gravidez (fica mais brilhante, forte e cresce muito mais rápido), se passado umas semanas do parto, começa a cair que é uma coisa parva.  A sério, fios de cabelo por TODO o lado! Quando me penteio então é um festim. Até já marquei uma consulta de dermatologia, porque estas falhas no cabelo estão a começar a afectar-me o sistema nervoso.
Isto tudo para dizer, que sim, depende da mãe, da disposição, da vontade, do tempo, do bebé, e de tantos outros factores. Mas tirarmos uns minutos para nós diariamente (10 num dia, noutro mais complicado 5, noutro mais leve 20), faz maravilhas ao nosso estado psicológico…e mães felizes criam bebés felizes 😉
Body concept
P.S – Tenho que agradecer principalmente ao PAI e a todo o apoio que temos tido desde do nascimento da Matilde (avós e tias, reais e emprestadas), sem eles não havia cá tempo para mim <3
Love
C

Deixe uma resposta