Paris – Dia 2 (Aleluia)

É verdade, é mesmo o que leu no titulo. Depois de mais de um mês, acabou de sair do forno o post sobre o meu segundo dia em Paris. O primeiro dia está aqui. Desculpem, é mais forte do que eu, gosto de criar suspense, ou então foi mesmo pela falta de tempo de passar o meu rascunho para o computador. A explicação fica ao critério de cada um… escolham a que mais gostarem 🙂

Mas vá, já chega de suspense, aqui fica o meu mini relato do segundo dia na cidade das luzes…e do frio.

 

O dia começou cedo. Tão cedo… só consigo levantar-me da cama tão cedo e com tamanha disposição em duas situações: para ir para a praia (seja ela qual for) e quando estou de férias (fora de Lisboa).

Tomámos o pequeno-almoço no hotel e lá fomos nós, frescos e fofos. A primeira ideia seria comprar o bilhete diário do metro, para assim serem mais rápidas as nossas deslocações pela cidade, mas, como eu ansiava por fotografias e por conhecer detalhes das ruas menos movimentadas, acabámos por ir a pé e ver até onde as nossas pernocas larocas nos levavam.

O hotel ficava mesmo por trás dos Champs Élysées e em 5 minutos lá chegámos àquela avenida gigante. Descendo a avenida, passámos pelo mercado de Natal (ainda fechado ao público, mas o cheirinho a crepes já se fazia sentir).

 

Paris é revestida de ouro, todos os tipos de monumentos de rua tinham uma pontinha de ouro aqui, outro acolá…aquele Napoleão era mesmo exibicionista pah!

Entre a manhã e a tarde andámos praí uns 30 kms (?). Não sei, sinceramente não sei, mas deixo-vos o mapa da cidade e um resumo dos sítios em que passámos:

 

Manhã

-St. Augustin

-Champs Élysées

– Grand Palais

– Petit Palais

– Pont Neuf

-Musée de l’Armée

– Les Invalides

– Musée D’Orsay

– Musée Louvre

-Champs Élysées

 

Tarde (metro de St. Augustin até Châtelet)

– Hotel de la Ville

– Place de la Bastille

– Le Marais

– Hotel de la Ville (outra vez)

-Catedral de Notre Dame

-Quartier Latin

-Sorbonne

(metro até Torre Eiffel)

– Torre Eiffel

 

Noite (metro até La Défense)

– La Défense

(metro até St. Augustin)

 

Resolvemos que não iríamos entrar em NENHUM monumento, primeiro porque não queríamos perder o pouco do nosso tempo em filas intermináveis, segundo porque lá está, não tínhamos muito tempo, terceiro porque o que sempre me fascinou nas cidades que visito é a cidade em si, o ambiente que se vive na rua, as pessoas, os cheiros, as cores que podem oferecer, quarto porque no já longínquo 2012 resolvemos ir à Galeria Uffizi em Florença, Itália, num solarengo dia em que as temperaturas rondavam os 40 graus.

Demorámos 3 horas para ver aquele museu todo e garanto-vos que a última hora foi vista à velocidade da luz, visto que eu queria era sair dali para fora. Pois bem, nesse maravilhoso dia cheguei à conclusão que museus não são a minha onda, principalmente quando o tempo é escasso. Nem me quero lembrar das fotografias que podia ter tirado durante esse tempo, enfim!

 

Os parisienses não se revelavam muito afáveis, é provável que tenha sido também porque fui lá pouco depois dos atentados, mas mesmo assim…não sei! Tirando um ou outro não me surpreenderam pela positiva e, diga-se de passagem, que não fazem o mínimo esforço para falar outra língua, que não o francês, ainda bem que tinha o meu cavaleiro poliglota comigo.

Mas a cidade em si é lindíssima, tem tanto para ver, para oferecer, recordou-me um pouco Milão, mas com mais “segredos” por descobrir.

O final da nossa manhã acabou com uma mini ida ao hotel para uma troca de roupa, 15 minutos deitados com as pernas para cima e para preparar as sandes do almoço, cordialmente patrocinadas pelo Carrefour Express 😉 (queremos mesmo falar dos preços dos restaurantes no centro de Paris??? :O)

 

No início da tarde e já evidentemente cansados, resolvemos apanhar o metro até à zona do Le Châtelet. Valeu-nos o super híper mega gigante macaron para recarregar baterias. Nhamy!!!

Já passava das 17 horas quando chegámos à zona de Notre Dame…Sweet Lord! Ou deverei dizer Mon Dieu! Perfeito! Único! Magnifico! A coisa mais linda de Paris. Chegámos na altura perfeita, com aquele lusco fusco de final de tarde. Só faltava ver o Quasímodo lá em cima para o considerar um cenário mágico.

Garanto-vos, não consigo mesmo descrever aquilo que senti ao passear pela Catedral e zonas circundantes!

 

Já a noite se fazia sentir e depois do meu joelho inchar e deixar-me a coxear o resto da noite, fomos então conhecer aquela que dizem ser a imagem de Paris, a torre Eiffel. Sim, vá, é gira, mas para mim não deixa de ser uma torre de ferro, enfim…opiniões!

Chegada a hora do jantar, fomos visitar os meus tios que moram na zona de La Défense, que nos presentearam com um banquete e casa quentinha… era tudo o que precisávamos naquele momento. Obrigada tios <3

Já passava da meia-noite quando regressámos ao hotel. Escusado será dizer que adormecemos em 1 minuto e meio e com o despertador pronto para as 7:30 para o nosso terceiro e último dia em Paris.

Mas isso fica para outro post…espero que não demore de novo mais um mês 😉

post 2 paris.JPG

foto tirada em Pont Neuf

Love

C

Deixe uma resposta